Dengue: conheça os sintomas da doença

A dengue clássica é usualmente benigna e inicia-se com febre alta, podendo apresentar cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor muscular, dor ao redor dos olhos), náusea, vômito, dor abdominal e manchas na pele. No final do período febril podem ocorrer sangramentos, mas eles são raros na dengue clássica.

Normalmente, a primeira manifestação é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e prurido cutâneo. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Nessa fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la de outras doenças febris, por isso uma prova do laço positiva aumenta a probabilidade de dengue.

No período de diminuição ou desaparecimento da febre, geralmente entre o 3º e 7º dia da doença alguns casos irão evoluir para a recuperação e cura da doença, porém outros podem apresentar sinais de alarme, evoluindo para forma graves da doença.

Na dengue hemorrágica, os sintomas iniciais são os mesmos da dengue clássica, porém evoluem rapidamente para manifestações hemorrágicas de gravidade variável. Os casos típicos são caracterizados por febre alta, fenômenos hemorrágicos que vão desde leves sangramentos gengivais até manifestações graves, como hemorragia gastrointestinal, intracraniana e derrames.

Nos casos mais graves, após o desaparecimento da febre, o estado do paciente se agrava repentinamente, com sinais de insuficiência circulatória e choque. Este estado pode levar o paciente a óbito em 12 a 24 horas ou à recuperação através de um tratamento anti-choque apropriado.

A forma grave da doença inclui:

 

- Dor abdominal intensa e contínua, ou dor a palpação do abdômen

- Vômitos persistentes

- Acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, pericárdico)

- Sangramento de mucosas

- Letargia ou irritabilidade

- Hipotensão postural (Lipotimia)

- Hepatomegalia maior do que 2 cm

- Aumento progressivo do hematócrito 

 

Conhece alguém com os sintomas? Ele deve procurar o serviço de saúde mais próximo, fazer repouso e ingerir bastante líquido (água, sucos, soro caseiro ou água de coco). Retornar ao serviço de saúde para ser reavaliado. Na presença de sinais de alarme e choque procurar imediatamente atendimento em unidade hospitalar.