Plano de combate ao mosquito Aedes aegypti envolve mais de 10 secretarias e órgãos municipais

 

O combate ao mosquito Aedes aegypti e às doenças chamadas de arboviroses (dengue, zika, chikungunya e febre amarela) exigiu uma grande mobilização da Prefeitura de São Paulo.

O Plano Municipal de Enfrentamento às Arboviroses envolve intenso trabalho e planejamento da Secretaria Municipal de Saúde, mas também compreende ações de outras pastas do município.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente vai promover palestras na Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ), com o objetivo de orientar e conscientizar os frequentadores de parques em áreas de risco, sobre a importância do uso do repelente e da vacinação, mostrar os principais aspectos da doença, além de disponibilizar os parques municipais como apoio na realização de campanhas de vacinação, com prioridade às regiões com baixa cobertura vacinal.

A SVMA continuará realizando o monitoramento dos primatas, principalmente saguis que são encontrados em alguns parques municipais. O monitoramento poderá incluir também os testes de sorologia de febre amarela, com a coleta de sangue dos animais. Dessa maneira, será possível determinar a circulação dos mosquitos. Também é competência da pasta realizar as necropsias nos animais que são enviados à Divisão de Fauna Silvestre, localizada no Parque Anhanguera. Já com aqueles que chegam vivos, a divisão faz o monitoramento e coleta de material genético para os testes de sorologia.

Os perfis em redes sociais da SVMA (Facebook, Instagram, Twitter e YouTube) terão campanha intensiva de conscientização e prevenção à febre amarela, principalmente no que diz respeito à utilização dos parques que fazem parte das áreas de risco.

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana vai atuar fazendo o reconhecimento de áreas com possíveis focos utilizando o Dronepol (equipes que operam os drones), além de divulgar, por meio dos coordenadores de Defesa Civil das subprefeituras, os imóveis de risco que tenham de receber ações de prevenção e combate a criadouros de mosquito. A Guarda Civil Metropolitanavai promover a proteção de equipes da saúde em áreas específicas da cidade.

Também fica a cargo da Secretaria Municipal de Segurança Urbana a criação de mapas de calor (áreas de maior incidência) com as informações de locais de possíveis focos.

Por fim, a ampliação de funções do SP+SEGURA vai permitir que o cidadão possa relatar ou denunciar locais de possíveis focos, com a possibilidade de envio de foto e vídeo.

Na Secretaria Municipal de Educação a missão será de proporcionar aulas com autoridades sobre prevenção às doenças e combate ao mosquito, além da divulgação de campanhas de informação com material elaborado pela Saúde.

A Secretaria Municipal das Subprefeituras se ocupará do lançamento de editais de contratação de 112 equipes para limpeza manual e mecanizada de córregos, galerias e canais. Outras 124 equipes serão montadas para a manutenção desses locais. As duas licitações foram publicadas no Diário Oficial do Município no dia 27 de outubro e serão realizadas no próximo dia 13. 

Os trabalhos para a prevenção de enchentes, de janeiro a setembro de 2018, também contribuem para a prevenção das arboviroses:

Limpeza Mecânica de Córregos

Extensão de córregos limpos: 58 mil metros

Volume de detritos retirados: 35 mil toneladas

Limpeza Manual de Córregos

Área de margens de córregos limpos: 1.879.015 m²

Extensão de córregos limpos: 435.315

Volume de detritos retirados: 1.259 toneladas

Microdrenagem mecanizada

Bocas de lobo limpas mecanicamente: 113.693

Poços de visita limpos mecanicamente: 23.802

Extensão de ramais limpos mecanicamente: 413.416 metros

Extensão de galerias limpas mecanicamente: 273.088 metros

Manutenção e Operação de Áreas Verdes e Vegetação Arbórea

Áreas ajardinadas

Área de limpeza (corte de mato / grama): 48.859.171,07 m²

Quantidade de árvores podadas: 60.078,00

Quantidade de árvores removidas: 6.987

Revitalização de pontos viciados de descarte irregular de resíduos: 210 

A Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia entra na força-tarefa direcionamento e ampliando o atendimento na plataforma SP156 (central telefônica, portal online, aplicativo SP156), principal canal de contato entre o cidadão e a Prefeitura de São Paulo. Também o Descomplica SP – São Miguel Paulista terá canal específico para o cidadão monitorar possíveis focos de Dengue na cidade, utilizando o serviço de "Denúncias de locais com acúmulo de água limpa e parada (dengue)".

A Central Telefônica SP156 também estará disponível para tirar dúvidas diversas sobre as doenças dengue, chikungunya e zika e febre amarela.

O cidadão receberá informações sobre como prevenir as doenças, seus principais sintomas e locais onde procurar socorro, além de serem orientados sobre locais de vacinação da febre amarela e como preveni-la.

Por fim, a Secretaria Especial de Comunicação (Secom) é responsável pelo hotsite sobre o mosquito Aedes aegypti e as arboviroses, além de coordenar as campanhas publicitárias em rádios, TVs e veículos online, com investimento total de R$ 10 milhões.